quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Elísium - Abismo Infinito - Sessão 01 - 13/01/2013

Mais um relato galera!
Dessa vez é minha  primeira sessão de Abismo Infinito.
Espero que gostem!!!

Crônica: Elísium – Relato de sessão
Sistema: Abismo Infinito

Preparação para a crônica
Nesta crônica, será usado como base o cenário predefinido Autoctônia-66, presente no último capítulo do livro Abismo Infinito, de John Bogéa.
O cenário será usado como base, contudo, outros cenários serão descaradamente copiados nesta crônica, como os filmes Pandorum e Prometheus e o jogo Dead Space 2 por exemplo.
O ano inicial da crônica será 3013.
Tripulação: 17 argonautas.
Personagens jogadores:










NPCs (tripulação da Elísium):



















Parte 01
Cena 01 - Convocação
O comandante Juan Lombardi Dio (Rafael) foi chamado até a estação espacial Hipérion-01 pelo centro de comando da Iniciativa Cronos e foi convidado para escolher uma tripulação para uma missão importante. Ele convidou seu irmão James Lombardi Dio para auxiliá-lo e então escolheu, com o auxílio de várias indicações, mais 15 argonautas. Entre eles, as personagens: Kathy Grant (Bárbara) - engenheira e Lisa Thompson (Rafaela) - exobióloga.
Juan é paranóico, acredita em teorias de conspiração e em extraterrestres inteligentes. Devido a isso, ele preferiu não informar à tripulação sobre a natureza da missão antes de embarcar.
Ainda na estação espacial, os personagens foram apresentados ao moderno e sofisticado cruzador intergaláctico Argo-13, que Juan batizou de Elísium 01. Também foram apresentados à inteligência artificial (nomo) e ao andróide de apoio (talo) da nave, que o comandante batizou respectivamente de Belchior e Baltazar.
Antes de embarcarem, Juan se encontrou com um homem estranho e mal-encarado, pegou uma maleta e a escondeu na nave.
Ao partirem, os argonautas se reuniram, se apresentaram, se dividiram entre os quartos, jantaram e foram colocados em hibernação criogênica por Baltazar.

Cena 02 - Despertar
Devido ao período prolongado de hibernação, os personagem sofreram com vários pesadelos terríveis.

Lisa Thompson
Foi a primeira a despertar. Sonhava que estava em meio a uma missão em algum lugar do espaço quando a nave entrou em pane, ficando à deriva no meio do nada. Perdida e sozinha.
Logo em seguida, ela acordou se sentindo muito fraca, mais que o normal para os efeitos da hibernação. Ao abrir os olhos, a porta da câmara de hibernação se abriu e logo ela escutou a voz robótica de Belchior perguntando como ela se sentia. Ela respondeu que estava tonta e Belchior chamou Baltazar para assisti-la.
Baltazar pediu que ela se sentasse e foi buscar remédios e comida. Após ele sair do lugar, as luzes se apagaram. Lisa tentou contato com Belchior, porém, não foi respondida. Ela também chamou por Baltazar, igualmente sem resposta.
Sozinha e no escuro, Lisa percebeu que estava vivendo o mesmo terror dos seus pesadelos. Sem poder acordar o restante da tripulação devido à pane nos sistemas da nave, ela resolveu ir até a sala das máquinas, na esperança de que seu escasso conhecimento em engenharia espacial pudesse detectar e resolver o problema.
Logo após entrar na sala das máquinas, as luzes se ascenderam novamente, contudo, ela resolve analisar a parte mecânica do reator, descobrindo que alguns dos fios que o ligavam haviam sido cortados, e que a nave estava funcionando novamente graças à energia reserva que o alimentava.
Lisa tentou unir os fios, porém, não obteve sucesso e criou uma pequena fagulha entre os fios. Ela resolveu não tentar novamente, com medo de danificar o reator
Lisa escuta novamente a voz de Belchior, informando ter ligado a energia reserva da nave, seguindo sua programação.
Logo em seguida, Baltazar entra na sala e parte para cima de Lisa, empurrando-a e fazendo cair no chão e partindo novamente para cima dela, dessa vez armado com uma faca.
Lisa rolou para o lado, desviando habilidosamente do ataque inesperado de Baltazar, conseguindo também desarmá-lo e jogá-lo no chão. Lisa então fugiu da sala e fez contato com Belchior, que não soube informar o motivo do ataque.
Lisa então correu para a sala das armas, se armou e conseguiu disparar, acertando as pernas do talo, que começou a se arrastar na direção dela. Sem saber desativar o robô, ela usou a faca para tirar fora sua cabeça.
Belchior instruiu Lisa a acordar os demais tripulantes de forma manual e ela resolveu começar pela engenheira Kathy Grant.

Kathy Grant
Kathy sonhava que sua nave estava sendo sugada por um buraco negro, levando consigo toda a tripulação. Imediatamente ela se ejetou numa pequena nave de fuga que colidiu com alguns asteróides e sofreu graves avarias, obrigando-a a fazer um pouso de emergência em um planeta desconhecido.
Era um planeta frio e escuro, praticamente sem vegetação. Enquanto Kathy saía com dificuldades de dentro da nave, ouviu grunhidos animais se aproximando. Andando com dificuldade para encontrar refúgio, ela sentiu que algo de aproximava pelas costas e tentou inutilmente correr para se livrar da criatura, que deu a volta e parou frente a frente com ela.
Era um monstro humanóide de pele acinzentada, com garras e dentes afiados.
Aquela criatura horrenda após ver o horror nos olhos de Kathy, partiu pra cima dela com as garras fitando seu pescoço.
Kathy tentou desviar da investida do monstro, porém sem sucesso, pois a criatura a tomou pelos braços e começou a tentar mordê-la com suas enormes presas.
A argonauta conseguiu, com muito esforço, se desvencilhar e jogar o monstro no chão, caindo sobre ele e prendendo-o. Quando num ato de fúria tentava golpear a criatura, Kathy ouviu uma voz familiar chamando por seu nome, deixando-a perturbada. A criatura tateou o solo daquele planeta inóspito, encontrou uma pedra e bateu-a contra a cabeça de Kathy, que antes de tentar desferir o próximo golpe se livrou momentaneamente de seus devaneios e viu na face do monstro que tentara matá-la, o rosto de sua companheira de tripulação. A exobióloga Lisa Thompson, que chamava por seu nome, tentando trazê-la de volta à realidade.
Ainda confusa e atordoada pelos efeitos da viagem e da pedrada na cabeça, Kathy finalmente despertou de seu pesadelo e percebeu que estava a bordo da Elísium.
Lisa contou o ocorrido com ela e Kathy foi até a sala das máquinas analisar melhor a situação na nave.
Kathy pediu que Belchior mostrasse as filmagens do interior da sala das máquinas durante as últimas horas e foi informada que o computador central estranhamente não conseguia ter acesso a tais imagens. Ela também tentou reparar o defeito dos fios e descobriu que o mesmo não poderia ser reparado com a nave viajando.
Posteriormente, ela foi em direção ao talo Baltazar e tentou repará-lo com as configurações normais, precisando reconectar os fios rompidos no embate com Lisa.
Enquanto isso, seguindo o protocolo, Lisa tirou o comandante Juan Lombardi Dio da hibernação para colocá-lo a par da situação.

Juan Lombardi Dio
Na mente doentia e paranóica de Juan, seres extraterrestres inteligentes sempre espreitam de longe pelo universo. Essa paranóia tomou conta da mente do argonauta durante todo o período de hibernação, transformando seu descanso em pesadelos horríveis.
Juan sonhava que durante a missão, criaturas alienígenas bizarras invadiram a Elísium e tentavam dominar toda a tripulação.
Após sair da câmara, Juan se deparou com um desses alienígenas sobre seu irmão James, mastigando suas tripas e outro vindo ao seu encontro. Ele empurrou este e foi correndo para a sala das armas, onde pegou sua pistola de raios paralisantes, afinal, achava melhor dominá-los vivos para fins de pesquisas.
Questionando Belchior sobre a falha no sistema de segurança da nave que deixou os invasores entrarem, ele foi informado que os sistemas estavam perfeitamente operantes. Perguntando sobre os monstros invasores, Belchior alegou desconhecer tal fato, fazendo Juan duvidar da eficiência e confiabilidade do nomo.
Kathy não teve tempo de reprogramar Baltazar, pois Juan surgiu correndo e disparou contra ela, fazendo-a adormecer. Enquanto atirava, ele gritava, chamando pelos seguranças.
Após ter abatido Kathy (acreditando ser o monstro), Juan pegou seu irmão pelos braços e viu sua cabeça rolando. Ele abraçou forte o corpo frio do seu irmão. Só então ele percebeu que James na verdade era Baltazar, com a cabeça arrancada.

Cena 03 - Primeira baixa
A primeira ordem de Juan após recobrar a consciência foi acordar os dois psicólogos da tripulação, Ted Sprague e John Newlin. Ted acordou e partiu pra cima de Juan, que o acertou com a pistola tranquilizante. John correu em direção à sala de armas e Juan o acompanhou e trancou a porta para evitar que ele atacasse alguém.
De dentro da sala, John gritava desesperado dizendo para se afastarem dele, enquanto Juan ficava ao lado de fora gritando pelo nome dele na esperança de tentar livrá-lo da loucura momentânea.
Juntamente com os gritos, Juan ouvia pancadas na porta pelo lado de dentro por algum tempo e de repente todo o barulho cessou. Juan entrou com cautela na sala, na esperança de seu companheiro ter se livrado do delírio.
Na parede do fundo da sala, Juan avistou uma grande mancha de sangue e quando se aproximou viu John com a cabeça deformada devido às pancadas e com uma chave de fenda cravada no olho direito. O Jovem argonauta não aguentou lutar contra o pavor da loucura e bateu com sua cabeça na parede até a morte, batendo-a por fim contra seu olho, com uma chave de fenda.
Ao ver o companheiro de profissão morto de tal forma, Ted lamentou e disse que era a loucura espacial provocada pelo longo período de sono em hibernação criogênica. Juan não acreditou no argumento, convencido de que forças alienígenas estavam atuando em meio à tripulação.
Juan ordenou que os tripulantes se equipassem da melhor forma possível e então conseguiram com muito esforço acordar toda a tripulação.

Cena 04 - Reunião com os escolhidos
Juan e seu irmão James escolheram alguns dos argonautas para uma reunião fechada, entre eles: Kathy Grant, Lisa Thompson, Gerard Voight (cosmólogo), Michael Barrow (engenheiro) e Steve Nolan (criptólogo).
Durante a reunião, Juan expôs para os demais que acredita terem partido em uma missão falsa dada pela Iniciativa Chronos para eliminá-lo. Juan disse que não havia combustível suficiente para retornar e propôs uma mudança de curso para investigar melhor os fatos.
Posteriormente, ele ofereceu aos presentes, nano transmissores injetáveis para que eles pudessem se comunicar de maneira independente. Kathy, não ficou confortável com a proposta e não quis adotá-la, porém, foi convencida após muita argumentação, mesmo que de forma hesitante.
Por fim, Juan pediu que os assuntos tratados ali não fossem divulgados ao restante da tripulação, dizendo que eles estavam infectados pela loucura espacial e deu a reunião por encerrada.

Cena 05 - Mudança de curso
Kathy e Michael trabalharam no computador de bordo da nave e haquearam o computador central para sabotar o radar da Hipérion-01, de modo que eles fixassem invisíveis para os radares. Eles também desligaram o modo automático da nave, acionando a direção manual.
Deu muito trabalho e eles gastaram mais de 4 horas para fazer todo o serviço.
Juan assumiu o comando da nave e mudou seu curso enquanto James mapeava para traçar a rota a ser seguida.

Cena 06 - Confronto
Após traçar uma nova rota, os argonautas começaram a se aventurar por lugares desconhecidos. A paranóia do comandante Juan começou a dividir a tripulação e torná-la hostil, mesmo entre si.
Após passar por uma pequena chuva de asteróides, alguns argonautas começaram a pressionar Juan a retornar à Terra. Isso gerou uma discussão entre a tripulação. Discussão essa que só foi interrompida graças a um problema maior que obrigou todos a se unirem. No meio ao espaço, os argonautas não conseguiam acreditar no que viam. Uma criatura disforme imensa, com facilmente o triplo do tamanho da nave.
A criatura era tão horrenda que nem mesmo o mais louco dos delírios conseguiria imaginar. Todos demoraram alguns segundos olhando para aquela aberração, tentando fazer seus cérebros assimilarem, pelo menos em parte, o horror que estava logo à frente. Um monstro muito pior que o medo da morte.
Juan, após se livrar do horror provocado pela criatura, começou a distribuir ordens de defesa e contra ataque. Ele continuou pilotando a Elísium e deu ordens aos seguranças Nathan Jones e Cloud Hurst para assumirem os canhões da nave enquanto o segurança Charles Clark sairia com a pequena nave de fuga para tentar flanquear a criatura.
Lisa tentava estudar a anatomia insana daquela criatura na inútil tentativa de encontrar um ponto fraco.
A criatura tentava agarrar a nave e imobilizá-la e Juan fazia o que podia para se desvencilhar de suas dezenas de tentáculos cinzentos, com estruturas serrilhadas parecidas com enormes presas.
Clark foi atingido e teve sua pequena nave facilmente triturada pela besta que investia contra a nave de maneira cada vez mais feroz. O corpo do segurança se desintegrou em meio ao vácuo. A cada vez que o monstro investia, a nave era mais avariada.
Sem chances contra o monstro, a nave entrou novamente em pane e em seguida começou a se incendiar, entrando em rápida combustão.
Quando a fumaça começou a sufocar os argonautas, uma forte e cegante luz aliviou as dores dos personagens que perderam a consciência e logo em seguida acordaram ouvindo a voz robótica de Belchior:
"OLÁ TRIPULANTES DA ELÍSIUM-01, SEJAM BEM VINDOS À ÓRBITA DO PLANETA PRIMORDIAL AUTOCTÔNIA 66. HOJE É 15 DE AGOSTO DE 3033 E VOCÊS ACABARAM DE ACORDAR DE UMA LONGA HIBERNAÇÃO. AOS POUCOS SEUS SENTIDOS E MEMÓRIAS VOLTARÃO AO NORMAL E EM POUCOS DIAS VOCÊS ESTARÃO PRONTOS PARA A MISSÃO. O TALO BALTAZAR COMEÇARÁ A PARTIR DE AGORA A LHES ORIENTAR SOBRE AS DIRETRIZES DA MISSÃO!"
++++++++++FIM DA PRIMEIRA SESSÃO++++++++++