sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Glória Mundi – Mago - Este Corpo Mortal - Sessão 01 – Um olhar pra dentro de você – 06/01/2013

E para iniciar bem o blog, postarei o relato da primeira sessão de jogo de uma crônica de Este Corpo Mortal, com a temática de Mago, o Despertar.


Crônica – Glória Mundi – Relato de Sessão

Sistema: Este Corpo Mortal (ECM)


Preparação para a crônica:
Esta crônica a princípio é uma adaptação do roteiro introdutório do jogo Mago: O Despertar, da White Wolf e traduzido no Brasil pela editora Devir. A primeira parte do conto pode ser baixada em português no site da Devir. As demais estão disponíveis em inglês nos sites da White Wolf. Todos gratuitos.
Esta crônica também terá algumas inspirações na crônica Manitou Springs, também disponível para download nos mesmos sites acima citados.
A crônica se passa na pequena cidade de Quincy, localizada a aproximadamente 15 km de Boston, no estado de Massachusetts (EUA). Nesta versão, o ano é 1995.
A cidade é praiana, com várias casas de veraneio. Entre elas, a cabala dos personagens.
A cidade tem pouco mais de 90 mil habitantes.




Personagens Jogadores:







NPCs:











Paul Kershan (Adão): poderoso mago andarilho, desvinculado de qualquer organização.
Luxúria, Gula, Avareza, Inveja, Orgulho e Preguiça: espíritos materializados dos personagens.

Parte 01 – Um olhar pra dentro de você – 06/01/2013

Cena 01 – Introdução:
Os magos acabaram de se reunir e decidir o nome da recém formada cabala “Vale dos Espinheiros”, quando as defesas mágicas da cabala denunciaarm uma presença se aproximando.
Esther se posicionou atrás da porta de entrada enquanto Brian foi até o segundo andar e viu pela sacada um homem de calça jeans e jaqueta de couro (estilo motoqueiro), ferido e buscando ajuda.
Após hesitarem um pouco, os personagens abriram a porta e o homem caiu desacordado.
Morrigan e Ogma ajudaram a levá-lo até o sofá, onde Esther começou a examiná-lo, descobrindo que ele estava com um profundo corte no abdômen. Observando melhor, Esther concluiu que as tais marcas não foram feitas por meios naturais.
Esther limpou os ferimentos e os cobriu com bandagens. Logo, o sangramento voltou e ela foi até seu quarto buscar mais. Ao retirar as bandagens e limpar o ferimento, ela viu que o corte estava bem menor. Estava se fechando, mostrando que ele não era um homem normal.
Ao acordar, o estranho homem perguntou onde estava e foi informado pela cabala de que estava na cidade de Quincy, MA. Ele se espantou e disse que antes de aparecer em frente à casa deles, estava em Manitou Springs, Colorado.
Ele então se apresentou como Remy e disse que estava lutando contra um espírito, juntamente com sua alcatéia. Disse também que se perdeu dois de seus companheiros nessa luta e se perdeu dos demais após entrar no mundo das sombras atrás dele, vindo parar em frente à casa dos personagens através de um portal aberto por outra criatura, que segundo ele, também saiu pelo portal.
Como ele não se lembrava de muita coisa, Esther o convenceu (após muito esforço) a ter uma sessão de hipnose para tentar buscar algo mais profundo, porém, não descobriu muita coisa, além do nome do espírito que lutou contra a alcatéia. Gurdilag.
Após acordar da sessão de hipnose, Remy retira as bandagens, já sem nenhum ferimento.
Passados esses momentos de tensão, os personagens convidaram Remy para jantar e passar a noite na casa. Morrigan se retirou para seu quarto, pois estava sem fome.
Após o jantar, os personagens relataram o ocorrido ao Consílium em Boston, que se alarmou e se prontificou a mandar um representante pela manhã para tomar as providências cabíveis.
Após todos os personagens entrarem para seus quartos, Remy foi ao quarto de Morrigan e tentou flertar com ela, porém, sem sucesso e teve que dormir no sofá da sala.

Primeiro Ato: Demônios Batem à Porta

Cena 01 – Invasão de domicílio
Enquanto todos estavam tomando café da manhã, Esther e Morrigan sentiram a presença de forças malignas, com a ajuda das defesas mágicas da casa.
Olhando do lado de fora da casa, os personagens não conseguiram identificar o invasor, contudo, todos começaram a se sentir afetados por seus maiores pecados. Esses sentimentos foram tomando força e tentando dominar o grupo.
Perdidos em meio às sensações provocadas por seus pecados, os personagens perceberam que espíritos tentavam possuir seus corpos e dominar o grupo.
Os personagens resistiram, porém, Morrigan e Ogma tiveram seus corpos dominados e saíram correndo da casa. Os espíritos que não conseguiram dominar os corpos dos jogadores se materializaram tomando as formas dos mesmos e partiram para o ataque.
 O combate foi rápido. Os personagens contra-atacaram e os espíritos se desmaterializaram e fugiram.
Terminado o combate, os personagens foram atrás de Ogma e Morrigan. Remy sentiu um rastro fraco de Morrigan e foi atrás o mais rápido que pôde.
Ao sair da casa, Brian percebeu runas marcadas magicamente na parte de fora da casa. Esther pediu ajuda ao Consílium para traduzir as runas, enquanto Brian tentava por conta própria.
Brian acabou descobrindo por conta própria que as runas eram marcações feitas por espíritos e que estas indicavam os nomes “reais” dos personagens.

Cena 02 – A procura de Adão
Remy perdeu o rastro de Morrigan na área central da cidade e retornou para a cabala.
Sem pistas dos amigos, os personagens tiveram a idéia de rastrear as linhas de poder deixadas pelos espíritos até sua fonte.
As linhas levaram os personagens até a área nobre da cidade, na região central, em uma casa muito antiga e sofisticada, de onde emanava grande poder.

Cena 03 – Uma olhada no espelho
Em frente à casa os personagens perceberam que as defesas mágicas da cidade foram rompidas de dentro para fora. Brian olhou na caixa de correios e encontrou contas em nome de Paul Khersan e Allan Flynn.
Os personagens se aproximaram da porta da frente da casa, que estava arrombada e escutaram um fraco pedido de socorro vindo do segundo andar.
Remy foi à frente, de encontro ao pedido de socorro e se deparou com um homem grisalho caído no chão, com uma camisa branca ensopada de sangue.
Esther deu os primeiros socorros no homem enquanto Brian e Remy vasculharam a casa e encontraram um homem mutilado na biblioteca da casa, próximo a um objeto quebrado de cobre, parecido com uma taça.
O homem se apresentou como Adão e disse, após hesitar um pouco, ser seguidor de uma filosofia mágica chamada goécia, que envolve a conjuração dos próprios demônios e vícios interiores, para lhes dar forma espiritual e derrotá-los.
Adão reconheceu ter ido longe demais e assumiu toda a culpa pelo ocorrido com os amigos dos personagens.
Adão disse que nesse momento, os personagens deviam se preocupar em salvar seus companheiros, rastreando e derrotando os espíritos, pois controlando os magos, eles teriam um terrível poder.

Segundo Ato: Preguiça

Cena 01 – A procura do espírito
Dadas as naturezas dos espíritos, os personagem deduziram que Preguiça não iria muito longe. Rastreando sua essência os personagens chegaram ao Faxon Park. Um parque usado para a prática de atividades físicas por vários moradores da cidade.
No entorno do parque, os personagens se sentiram extremamente cansados e desanimados, com os corpos pesados. Notaram que o parque estava estranhamente vazio, diferente dos dias normais.
Passando pelo campo de beisebol, os personagens avistaram Morrigan sentada em uma das arquibancadas. Totalmente apática.
Ainda de longe, os personagens perceberam que a energia vital dela estava sendo sugada e absorvida pelo ambiente, deixando-a cada vez mais fraca.
Após lutar muito contra o cansaço provocado por aquele ambiente, os personagens conseguiram se aproximar de Morrigan e com um extremo esforço, Remy usou suas habilidades para expulsar o espírito que possuía sua companheira.
O espírito se materializou tomando a forma de Morrigan e partiu para cima dos personagens. Esta luta foi bem mais difícil, pois os personagens continuavam afetados pela essência da Preguiça e tinham que se esforçar de forma exaustiva para continuarem lutando.
Após ser derrotado, o espírito tentou escapar, mas foi impedido por Remy, que o destruiu.
Mesmo após o árduo combate, Morrigan continuou apática e os personagens perceberam que o espírito que haviam acabado de derrotar não era Preguiça. Toda a atmosfera do local ainda estava impregnada pela essência da Preguiça.
A prioridade agora era salvar Morrigan. Remy a pegou pelos braços e lutou contra a vontade de parar e descansar, levando-a de volta a cabala. No meio do caminho ela perdeu a consciência.

Cena 02 – Confronto direto
Chegando em casa, os personagens encontraram uma carta do Consílium  exigindo ser imediatamente informado sobre os fatos que estão ocorrendo na cidade.
Esther fica em casa cuidando de Morrigan que continuava desacordada, enquanto Brian e Remy resolveram ir ao parque para deter Preguiça.
No parque, Brian e Remy resolveram perturbar a tranquilidade do lugar com música alta de um carro de som e incendiando vários pontos, fazendo o espírito se materializar.
A Preguiça materializada assumiu a forma grotesca que os olhos dos personagens não conseguiram assimilar. O espírito não se moveu ao se materializar, contudo, sua essência era tão forte que os Brian e Remy se deitaram no chão, sem vontade de continuar. Remy se enfureceu, perdeu o controle sobre seu corpo e entrou em fúria mortal, assumindo a forma Gauru.
O grande lobisomem partiu para cima do espírito e o estraçalhou, destruindo-o por completo. Logo após este combate, sirenes indicaram a presença da polícia, fazendo Remy fugir descontrolado pela mata ao lado do parque.
Brian foi ao encontro de Remy, que caiu exausto em meio à mata, retomando a consciência alguns minutos mais tarde.
Os dois foram até a casa de Adão para informar o ocorrido e se depararam com o local em chamas, sendo informados por bombeiro que a vítima havia sido levada às pressas ao Centro Médico de Quincy.

+++++FIM DA PRIMEIRA SESSÃO+++++



Bom galera, é isso!

Em breve postarei a parte 02 da crônica. Título: Direção Perigosa.