segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Preparação para campanha de Space Dragon

Fala galera!


Estou aqui hoje para mostrar a todos vocês os primeiros passos dados para minha primeira campanha narrada para o excelente rpg Space Dragon!


Já joguei várias aventuras soltas ou pequenas campanhas de no máximo duas sessões, porém agora consegui firmar com um grupo legal e pretendo tocar uma campanha grande utilizando o jogo.

Espero que gostem!

Bom galera, primeiramente gostaria de informar que todos os integrantes são novatos no Space Dragon, porém não no RPG e que estamos todos muito empolgados com a ideia de uma campanha narrada com este sistema que de tanto elogiado por mim atiçou a curiosidade de todos.


Não criarei ainda um cenário para o jogo. Narrarei apenas com uma pequena base para a história, na qual começaremos a campanha e conforme as sessões forem sendo jogadas o cenário irá se formando por si só.

BASE PARA A HISTÓRIA

O planeta Simizor, localizado em um sistema solar próximo ao do planeta Terra é habitado há muitas eras por duas raças principais, os Símios e os Zorks. Ele é consideravelmente maior do que a Terra, tanto em extensão quanto em população, contudo, menos desenvolvido tecnologicamente. 

Simizor tem as estruturas naturais como clima, relevo, vegetação e etc, muito semelhantes às da Terra, com algumas poucas mudanças na fisiologia de determinados tipos de espécies.

As causas do baixo desenvolvimento tecnológico do planeta, que chega ao precário, são as intermináveis disputas entre as duas, que desde tempos imemoráveis lutam e travam grandes e desnecessárias guerras por diversos motivos. Estas guerras deixam os recursos cada vez mais escassos e impedem o avanço tecnológico do planeta.

As relações comerciais entre Simizor e a Terra na grande maioria das vezes envolve exploração de recursos naturais e contratação de força de trabalho barata, sempre com a Terra saindo com grande vantagem. É praticamente um modelo de comércio imposto pela Terra e acatado de maneira forçada por Simizor.

Símios e Zorks nunca gostaram dos humanos pelos vários anos de exploração, contudo, graças aos humanos, eles têm acesso a algum tipo de tecnologia, que seria impossível alcançar em meio a estas infinitas guerras. Os habitantes de ambos os planetas têm livre acesso entre ambos, embora algumas vezes uma raça pode ser recebida com hostilidade ao chegar no outro planeta.

O ponto de partida para o início da história surge pouco tempo após a população da Terra começar a comentar sobre símios e zorks se unindo em Simizor em uma Aliança Libertadora para invadir e dominar o planeta Terra, se livrando do regime atual e impondo seu próprio sistema de governo.

Este assunto é ridicularizado e tratado como fofoca por grande maioria da população terrestre, que além de não acreditarem na possibilidade de uma aliança entre as duas raças eternas rivais, acreditam menos ainda que juntas elas sejam capazes de desenvolver uma força bélica e estratégia militar capaz de dominar o planeta Terra.

Os poucos estudiosos que acreditam nesta possibilidade, não têm influência ou recursos necessários para organizar uma operação com o objetivos de obter provas concretas para a organização de uma possível defesa.

Embora pouquíssimas pessoas acreditem nesta história, quase todos discutem sobre ela e como reflexo disso (ou talvez não), os moradores da Terra pertencentes às raças envolvidas nesta até então desacreditada  aliança estão cada vez mais confiantes. Alguns até mesmo contam histórias sobre o ataque estar próximo e se fazem valer disso para amedrontar alguns humanos.

As histórias ultimamente vêm ganhando força e chegou até mesmo a refletir nas negociações comerciais entre os planetas. As explorações em Simizor estão sendo dificultadas e os preços das mercadorias e forças de trabalho estão subindo de forma considerável. Alguns acreditam que símios e zorks inventaram estas histórias apenas para aumentarem seus preços, porém, nada ainda está confirmado.

O Imperador James Nolan, presidente do Comando da Unicracia Terrestre ainda não se manifestou sobre o assunto.

PERSONAGENS JOGADORES:

David "Monster" Blue - Mutante - Neutro - Cientista 4

For 10, Des 12, Con 11, Int 15, Cie 17, Com 13
PV 25, CP 14 (vestes médias), BA +2, JP 14, Mov 10
Talentos: Desativar robôs (sucata 7, protótipo 11, repetidor 15, autômato 18 e humanoide 20) e Operar máquinas 83%
Mutações: Resistência a ferimentos (ignora 2 pontos de dano) e Sentido diminuído - Paladar (língua verde e precisa comer o dobro que um ser humano normal).
Ataques: pistola laser +3 (1d6) 

Breve histórico: filho de família rica e influente, David foi abandonado ainda criança pelos pais logo após o surgimento de suas mutações. Sozinho no mundo, com muito esforço David conseguiu tornar-se um cientista, formando-se com glórias na Universidade Unicrática Terrestre, a maior universidade científica do planeta Terra.
David abandonou o sobrenome de sua família, do qual sempre evita falar, adotando a alcunha Blue como novo sobrenome, fazendo alusão a tonalidade de sua pele. O apelido "monstro" o acompanhou desde que descobriram sua mutação, ainda na infância.
Apesar de ter se tornado um grande cientista, David sempre foi muito solitário e o fardo de sua aparência pesava em vários aspectos, principalmente no profissional e sentimental. Quase ninguém queria dar emprego para um "monstro", menos ainda envolver-se sentimentalmente com um, independente de suas capacidades.
Durante toda sua vida, David teve apenas dois amigos verdadeiros. O primeiro foi um símio que ele comprou em sua primeira viagem a Simizor para ser seu assistente de laboratório. Seu nome era Kong e a amizade entre os dois durou muitos anos. Kong ensinou a David o idioma dos Símios e David ensinou a Kong tudo o que pode sobre ciência, bem como as leis e os costumes da raça humana. 
A segunda grande amizade da vida de David foi a androide Lily Blue, que ele encontrou em uma de suas expedições científicas, bastante danificada e desativada. Ele então recolheu a androide e a levou para seu laboratório onde após alguns anos trabalhando no projeto e muita verba investida, bancou o reparo da mesma e a reparou para ser sua amante. O dinheiro e o tempo gasto, aliados ao grande amor que David desenvolvera pela mesma o fez amá-la como uma filha e ela também a amá-lo como um pai.
Hoje David enfrenta grande problemas financeiros devido ao projeto Lily e hoje trabalha duro para se reerguer.

Lily Blue - Androide - Neutra - Mentálica 4

For 13, Des 15, Con 13, Int 17, Cie 12, Com 06
PV 17, CP 14 (vestes leves), BA +1, JP 13, Mov 10
Talentos: Resistência mental 4%
Ataques: pistola de projéteis +3 (1d8)

Breve histórico: Lily foi programada para amar David e o tem como uma figura paterna. Ela não sabe sobre seu passado, contudo, sua memória original não foi deletada e a qualquer momento ela pode ser reativada. Lily também tem poderes mentais provavelmente programados por seu criador. Nem ela nem David conhece a extensão destes poderes e aos poucos ambos estão aprendendo a lidar com estes poderes.
Apesar de Lily agora ser programada para agir como uma filha de David, amá-lo e respeitá-lo como um pai, suas configurações não a obrigam a acatar ordens dele, permitindo-a descordar do mesmo e inclusive agir contra sua vontade.
Os conhecimentos de David não foram capazes de rebotar todas as memórias de Lily e ele teme o que estar memórias perdidas podem revelar se um dia retornem.

Rosalie Jones – Humana – Rebelde – Gatuna 4

For 11, Des 20, Con 10, Int 10, Cie 13, Com 15
PV 19, CP 17 (vestes leves), BA +2, JP 14, Mov 10
Talentos: Destrancar portas 55%, Localizar e sabotar máquinas 45%, Escalar superfícies 83%, Esgueirar-se 60%, Ocultar-se 45%, Furtar 55%, Ouvir barulhos 1-2, Ataque pelas costas x2.
Ataques: pistola laser com silenciador +7 (1d6) e faca de sobrevivência +2 (1d4).
Breve Histórico: Rosalie viveu como escrava em Simizor desde o final da infância até os primeiros  anos da adolescência até que fugiu e foi para as ruas.
Rosalie viveu nas ruas por dois anos até encontrar Penelope, uma grande ladra que a acolheu e a ensinou várias manhas das ruas, tornando-a uma excelente ladra.
Rosalie hoje age como uma mercadora clandestina que comercializa entre o planeta Simizor e a Terra. Ela vende diversos tipos de mercadorias e serviços, desde iguarias legalizadas até drogas e armas, repudiados em ambos os planetas.
Com a recente onda de boatos que pairam entre ambos os planetas, os negócios de Rosalie estão sendo prejudicados.

Petrus Kane– Humano – Leal – Homem Espacial 4

For 18, Des 17, Con 13, Int 10, Cie 10, Com 11
PV 36, CP 16 (vestes médias), BA +4, JP 15, Mov 10
Talentos: Desarmar 45%, Subjugar 55%, Pilotar Naves 83
Ataques: rifle de projéteis +7 (1d10) e espada de lâmina +8 (1d8+4)
Breve Histórico: Petrus Kane foi um ótimo militar integrante da Patrulha Universal, uma força de elite muito antiga responsável por proteger o planeta Terra de ameaças alienígenas e realizar expedições de exploração por novos e desconhecidos planetas. Ele serviu desde o início de sua adolescência e treinou até a vida adulta, assumindo por fim um posto no oficialato (Tenente Kane).
Sua carreira foi brilhante durante anos, porém, tudo desmoronou quando perdeu sua tripulação em uma missão de exploração em um planeta desconhecido. Além de Kane, o único sobrevivente foi um androide contratado pela tripulação e este alegou que Kane havia fugido e deixado os demais para morrer. 
Mesmo tendo um excelente histórico de missões muito bem sucedidas, Kane foi expulso da corporação, acusado injustamente de ser responsável pela morte de oito tripulantes.
Kane não entendeu o porquê das acusações, porém se convenceu que alguém havia implantado tais informações naquele androide. O agora ex tenente também nunca soube explicar a morte de seus subordinados. De alguma forma, este evento fora apagado de sua mente.
Com o dinheiro que conseguiu guardar de suas missões, Kane conseguiu comprar uma nave com a qual hoje vive realizando trabalhos para contratantes de vários tipos. Com a carreira de mercenário, ele se sustenta, porém, trabalha para um dia conseguir provar sua inocência e retornar à corporação.

NPC IMPORTANTE:


Penelope

A única npc importante que será apresentada nesta preparação, é Penelope, uma humana moradora de Simizor, responsável por vários negócios no mercado negro da cidade.
As poucas informações conhecidas sobre Penelope, apontam que a mesma conhece muita gente e sempre se dá bem em seus negócios. Nada sobre seu passado é conhecido no submundo de Simizor, embora há quem diga que a mulher linda, inteligente e traiçoeira veio de uma família rica e influente da Terra.
Penelope é a pessoa certa para quem deseja algo difícil, obscuro ou ilegal em Simizor, contudo, ela sempre cobrará seu preço. 
Rosalie foi adotada e recrutada por Penelope que afirma ver um pouco de si na jovem gatuna e aposta bastante no futuro da mesma, embora também recuse se envolver além do necessário. Mesmo com essa recusa para se envolver, alguns já perceberam que a forma mais fácil de se chegar até Penelope é por intermédio de Rosalie.


Bem galera, por enquanto é isso!
Não posso falar mais sobre as bases da história para não dar spoilers. Criei estes personagens e os jogadores os escolherão na primeira sessão de jogo.

Mais uma vez, estou muito empolgado para iniciar esta campanha e vou torcer muito para conseguir narrar ela por completo.
Espero que tenham gostado e conforme as sessão forem acontecendo, irei postando os relatos aqui e construindo o cenário juntamente com os jogadores.

Grande abraço a todos e até mais!!!

Links relacionados:


Relato da primeira sessão do jogo: http://caminhodasebe.blogspot.com.br/2013/11/invasao-ao-planeta-terra-space-dragon.html

Resenha de Space Dragon: http://caminhodasebe.blogspot.com.br/2013/03/space-dragon-comentarios.html


Relatos de sessão da aventura "O Resgate da Princesa Imperatriz", primeira de três sessões, pelo blog Vila do RPG: http://www.viladorpg.com.br/diario-de-campanha-space-dragon-o-resgate-da-princesa-imperatriz-1a-sessao/ . Não está diretamente ligado à aventura, porém, achei um exemplo excelente para uma boa aventura de Space Dragon (mesmo que tenha sido narrado utilizando apenas o fast play do jogo).