segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Hack rápido do RPG Imortal para Savage Worlds


Fala galera!

Estava eu organizando meus livros de rpg quando meio que por acaso peguei o RPG Imortal, da Editora Mitsukai, feito para o sistema Daemon e comecei a folheá-lo. De imediato me bateu uma nostalgia gostosa, pois me diverti muito com este jogo por volta de 2003 e 2004.
Decidi então fazer uma breve adaptação das regras principais contidas no jogo para o sistema de Savage Worlds, que atualmente tenho jogado bastante.
Espero que gostem da postagem.

Bom galera, primeiramente falarei um pouco sobre o jogo para ambientar quem ainda não o conhece. Imortal é um jogo inspirado na franquia Highlander, no qual os jogadores interpretam personagens que um dia morreram e despertaram novamente para uma vida imortal descobrindo a partir de então um mundo completamente novo, conhecido como mundo de revelações.
Assombrados por uma lenda profética conhecida como Ragnarok, na qual um dia todos os imortais lutarão entre si para enfim apenas o ultimo sobrevivente reinar sobre todos o mundo como o ser mais forte um dia criado, os personagens lutam para sobreviver a cada dia ao passo que são impulsionados a se fortalecerem para um provável grande confronto final.
A maneira mais rápida de se fortalecer neste cenário, é caçando e matando outros imortais, cortando-lhes a cabeça, para então obter um pouco do poder do mesmo, pois ao morrer, a ressonância do imortal é passada para o imortal mais próximo do mesmo.
Deixarei um link da resenha ao final desta postagem.
Para esta adaptação, tratarei apenas das quatro regras mais importantes ao jogo. Primeiramente, a fisiologia de um imortal, cobrindo vários aspectos como por exemplo sua regeneração, entre outros. Outra regra tratada, será a Ressonância, que além de ser o "combustível" utilizado para uso das Dávidas, mede as forças e capacidades de cada imortal. Posteriormente, falarei das regras para Revitalizações, que são os efeitos causados pela morte de um imortal. Por ultimo, explicarei as Dávidas da Imortalidade, que representam os poderes utilizados pelos imortais e inerentes à sua condição.

MODELO IMORTAL: Como obviamente o próprio nome já diz, imortais não morrem. Pelo menos não normalmente como seres humanos comuns. Para que a morte final alcance seu personagem, é necessário que sua cabeça seja arrancada do corpo, ou que seu corpo todo seja derretido, desintegrado, explodido ou qualquer outra situação que o impeça de se regenerar.
Em termos de recuperação, o personagem imortal se recupera de um ferimento a cada dez minutos. Membros arrancados crescem 1 cm por dia até ficarem como estavam antes.

RESSONÂNCIA: Representa a energia interna do ser imortal, bem como seu combustível para ativas poderes e dádivas. Nesta adaptação, a ressonância será representada pela Vantagem Antecedente Arcano, dando ao imortal 10 pontos de poder para assim realizar suas dádivas. Este antecedente arcano dá ao personagem quatro dádivas iniciais.
Esta vantagem tem suas especificidades, por exemplo, o nível de ressonância de um imortal representa a sua força interna. Seres imortais são capazes de sentir a ressonância uns dos outros e assim determinar sua força. É possível que um imortal "esconda" sua ressonância, ficando invisível dos radares imortais, contudo, para isso, é necessário passar em um teste de Espírito. Este teste deve ser refeito sempre que o personagem perder a concentração de alguma forma ou entrando em estado abalado. Detectar a ressonância dá ao personagem uma leitura subjetiva. É possível o personagem saber se a ressonância que está sentindo é maior ou menor do que a dele, ou também sentir quem tem a maior ressonância entre os imortais presentes em determinado local, contudo, não é possível saber por exemplo que o imortal tem 16 pontos de ressonância.
Com um teste de Espírito -2, é possível também detectar a ressonância de imortais latentes, que são pessoas imortais que ainda não despertaram para sua imortalidade. É bem comum inclusive que imortais mais antigos treinem imortais latentes, seja para ter auxílio do mesmo com a relação mestre/aprendiz ou para deixá-lo forte e então matá-lo para assim receber sua ressonância.
A distância máxima que um imortal é capaz de sentir a ressonância de outro sem penalidades é igual ressonância x o número relativo à sua Astúcia em metros. Por exemplo, se um personagem tem 12 pontos de ressonância e d6 de Astúcia, ele conseguirá sentir a ressonância de imortais a até 72 metros de raio sem modificadores. Com um modificador de -2 é possível sentir o dobro de distância e com -4 é possível perceber a distância x 4. Com base no exemplo acima então, o personagem sentiria sem qualquer modificador uma ressonância a até 72 m, com um modificador de -2 até 144 m e com um modificador de -4, até 288m de raio, que seria seu alcance sensorial máximo para sentir ressonância.
A medida que o imortal fica mais antigo, ele vai ficando mais forte, ao passo de a cada 20 anos de vida receber um ponto de poder extra.
A cada revitalização (vide abaixo), o imortal recebe ressonância do morto de acordo com sua ressonância utilizando o seguinte: ganha-se um número de pontos de ressonância igual ao nível do personagem morto -9, ou seja, matando um personagem com ressonância 10 ganha-se 1 ponto de ressonância permanentemente.
É possível perder pontos de ressonância de duas maneiras. A primeira delas, é quando um personagem sofre a morte final e não existe outro imortal próximo a ele. Neste caso, ele perderá dois pontos de ressonância permanentemente e reencarnará no próximo corpo recém falecido. A segunda maneira é estar próximo de um imortal no momento de sua morte final, não sendo o imortal mais próximo. Imortais expectadores de revitalizações, perdem dois pontos de ressonância + por estágio acima de novato do morto, ou seja, se presenciar a morte de um imortal em estágio heroico, o personagem perderá 2 + 3 pontos, totalizando 5. Estes pontos são recuperados na proporção de 1 por semana.

REVITALIZAÇÕES: É o ato de provocar a morte final de um imortal, cortando-lhe a cabeça em combate. Em uma revitalização, o autor da morte ganha parte da ressonância do morto, conforme explicado acima, além de absorver uma perícia do morte com d4 ou aumentando uma perícia que o morto tenha maior que o personagem. Este personagem também escolhe em nível um ou aumenta, caso possível uma Dádiva que o morto possuía.
Se houver mais de um imortal próximo no momento da morte final do personagem, a ressonância que seria ganha pelo vencedor do combate é dividida entre todos os presentes.
Além destes aspectos, o personagem autor da morte final de um imortal, recebe algumas lembranças do morto. Estas lembranças vem em forma pequenas recordações involuntárias que o personagem pode ter. Estes aspecto cria grandes possibilidades para o desenvolvimento de histórias de Imortal.

DÁDIVAS DA IMORTALIDADE: Por fim, as dádivas representam os poderes obtidos por imortais. Estes poderes podem ser adquiridos por meio de treinamento (e gasto com a compra da vantagem Novo Poder) ou com revitalizações, conforme explicado acima.
O personagem pode ativar por turno, uma dádiva por estágio de evolução. Não listarei aqui as dádivas, pois acho mais interessante que cada um crie suas próprias dádivas para que as mesmas se encaixem da melhor forma possível em cada mesa de jogo, contudo, listarei os grupos de dádivas para dar um norte aos jogadores.
As dádivas são: Corpus, relacionado à proezas físicas, conferindo ao personagem bônus nas mesmas; Bellicus, na qual os personagens canalizam o poder se suas ressonâncias em diversos tipos de armas, tornando-os muito mais mortais em combate; Forja, com a qual os imortais aprender a manusear e entender sobre metais, tornando suas lâminas muito mais afiadas; Augúrio, que abrange as dádivas sensoriais; Medo, mexendo nos temores mais terríveis das pessoas; Psique, responsável por bagunçar a mente; Induzir, implantando ordens; Ilusão, confundindo a própria realidade dos inimigos; Energia, sabotando equipamentos eletrônicos, queimando circuitos e provocando tempestades elétricas; Instinto, dando ao personagem capacidades de sobrevivência incríveis; Tai-do, aprimorando de forma sobrenatural as artes marciais dos imortais; Vigor, conferindo a habilidade de controlar elementos do corpo; Harmonia, poderes conferidos pela concentração e meditação; Telecinésia, movendo objetos; Telepatia, conferindo altos poderes telepáticos ao personagem; Subterfúgio, que confere habilidades furtivas incríveis aos personagens; e por fim Vampirismo, extraindo e absorvendo para si as essências de outras pessoas.
Estas são as Dádivas da imortalidade listadas no livro, como alguns poderão perceber, é bem parecido com as disciplinas de Vampiro, portanto, criem com base no que for melhor para a mesa de jogo de vocês.

Então galera, é isso! Imortal é um jogo que me divertiu muito. Vale a pena experimentar. O clima proposto pelo jogo é muito interessante e suas várias teorias de conspiração deixam o aspecto social bastante interessante. O jogo pode muito bem ser ambientado em qualquer lugar ou época e sob qualquer contexto. Realmente de acordo com o freguês.

Não sei se vocês sabem, mas a Redbox editora agora detém os direitos de publicação da linha Daemon. Torço muito para que Imortal esteja nos planos da editora. Seria muito bom ver Imortal com o padrão Redbox de qualidade. De qualquer forma, a linha Daemon agora está em ótimas mãos e podemos esperar excelentes publicações.
Espero que tenham gostado, um grande abraço a todos e até a próxima!

Links relacionados: