terça-feira, 12 de novembro de 2013

Invasão ao Planeta Terra - Space Dragon - Relato da 1ª Sessão!

Fala galera!

Após uma espera considerável, finalmente conseguimos jogar na noite de sábado (09/11/2013) a primeira sessão da nossa campanha de Space Dragon.

Neste relato narro para vocês o que rolou nesta primeira sessão que foi bem divertida. Espero que gostem do relato...

Primeiramente, a preparação e as pequenas modificações antes da sessão iniciar. O jogador que interpretou o personagem apresentado como Petrus Kane, alterou seu nome para Pietrus Kane, pois segundo ele, seria mais fácil de guardar o nome.

Os personagens então ficaram da seguinte forma:

Miniaturas dos personagens. Feitas para a campanha!
Personagem: David "Monster" Blue/ Jogadora: Bárbara.

Personagem: Rosalie Jones/ Jogadora: Loanda.

Personagem: Pietrus Kane/ Jogador: André.

Personagem: Lily Blue/ NPC

Vamos, ao relato. Se você ainda não leu a base para a história desta campanha, sugiro que leia antes para uma melhor ambientação no pequeno cenário.

Segue o relato...

CENA 01 - O INÍCIO DE TUDO


Lily e David Blue estão esperando a chegada das espaçonaves que os levarão até Simizor. Ambos planejam viajar  até o planeta para encontrar Kong, que está desaparecido há mais de seis meses. O último contato que David teve com Kong, foi quando o Símio se despediu para visitar a família em Simizor, coisa que o mesmo faz todos os anos, tirando férias em seu planeta natal.
Para encontrar seu amigo, David viu que precisaria recorrer ao submundo de Simizor e então procurou na Terra por um contato que o deixasse na pista do amigo. Após muito procurar, David encontrou uma forma que o colocaria em contato com uma mulher humana que conhece muito bem o submundo de Simizor e que provavelmente o ajudaria a encontrar seu amigo, contudo, esta mulher é muito reservada e para estabelecer tal contato, David e Lily receberam cada um um envelope fechado, que deveria ser entregue ao dono da loja Macaco Furtivo em Simizor e então ele seria conduzido até seu contato.

Pietrus Kane estava em sua nave Old Sword, transportando tripulantes de Simizor para a Terra para faturar algum dinheiro. Esta viagem foi diferente em alguns aspectos. Primeiramente, além do transporte habitual de passageiros, Pietrus agora precisaria fazer a escolta de uma pessoa até a Terra e depois trazê-la novamente até Simizor. Esta escolta foi contratada por uma mulher conhecida apenas por Penélope e o pagamento seria uma quantia considerável, a ser acertada no momento que o mesmo retornasse com a missão cumprida. A pessoa a ser escoltada é a bela e jovem ladra Rosalie Jones, a qual Pietrus já conhece de viagens anteriores. Outra preocupação de Kane, é o fato desta viagem ter sido bastante dificultada por parte de Simizor. Desta vez ele teve que desfazer de várias mercadorias que levava, recebendo autorização para levar apenas passageiros para a Terra. Também diferente das outras tantas viagens feitas por ele, desta vez apenas uma nave decolou além da dele. O Cargueiro Delta Sid, comandado pelo Símio Capítão Kirk. Nas viagens anteriores, entre dez e quinze espaçonaves sempre saíam em caravana para o Planeta Terra. Pietrus tentava entender  o porquê destas dificuldades, tentando também se convencer de que isso não tem nada a ver com os boatos da possível invasão ao planeta Terra.

Rosalie recebeu uma missão de sua tutora e amiga Penélope. A missão é simplesmente levar duas pessoas ao seu encontro. Estas pessoas seriam apresentadas a ela na hora certa. Rosalie viajou até a Terra para realizar uma entrega ilegal para seu contato e talvez descolar algum serviço. Rosalie também estranhou a grande diminuição no número de espaçonaves desta última caravana.

  • 09 de novembro de 2613 - Estação Espacial nº 57 - Conexão Terra/Simizor

David e Lily estão esperando a chegadas das espaçonaves para conseguir viajar para Simizor. No momento da chegada das duas únicas espaçonaves, David estava lendo um de seus livros enquanto Lily tentava entender porque seu companheiro usava um método tão arcaico de estudo. Ambos os personagens, bem como todos os demais que esperavam pelos transportes ficaram assustados com a grande diminuição do número de espaçonaves. David até então só observava enquanto continuava estudando.

Kane e Rosalie desembarcaram, juntamente com alguns tripulantes trazidos à Terra. Pietrus se espantou ao ver que juntamente com o capitão Kirk dois soldados Zorks. Isso nunca havia acontecido antes. As raças são eternas inimigas não se vê ambas trabalhando juntas. Eles então se cumprimentaram e trocaram algumas farpas como de costume, até que combinaram a hora de saída e se despediram.

Rosalie então se despediu de Pietrus, dizendo que o encontraria na hora de retornarem. Pietrus então recusou se afastar da mesma, alegando que proteger sua integridade era fundamental para que ele receba seu pagamento. Ela tentou argumentar, contudo não obteve recursos e foram ambos até um bar muito suspeito, localizado entre tantos bares naquela estação espacial. Rosalie pediu que Pietrus esperasse em um canto e foi de encontro a seu contato, um humano mal encarado conhecido sob a alcunha de Rato. A garota falava com ele para realizar a transação combinada entre ambos, quando então reparou que em uma mesa do outro lado do bar havia uma mulher observando-a. Ela perguntou se Rato a conhecia, após o mesmo informar nunca a ter visto, ela se dirigiu até a mulher e a questionou de forma rude. A garota então disse estar olhando para o ambiente ao redor e também de forma rude disse não estar disposta a iniciar uma discussão.

A jovem ladra retornou de encontro ao Rato e ele pediu que ela mostrasse a mercadoria, ao retirar o embrulho de suas vestes, ela foi imediatamente interceptada pela mulher que a estava observando, porém, desta vez com uma pistola laser em punho e o distintivo da patrulha terrestre. A mulher era uma policial disfarçada e estava ali justamente para interceptar contrabandistas de Simizor.

Pietrus vendo que Rosalie estava em dificuldades, sacou seu rifle para partir em auxílio a companheira, momento em que um outro humano surgiu em meio aos frequentadores do local, também portando uma arma e um distintivo. Era o parceiro da policial. Kane inteligentemente começou a conversar com o policial em um idioma inventado na hora, na intenção de confundi-lo para então tentar alguma coisa. O policial gritava para Pietrus largar a arma e o mesmo se fazia de desentendido até ter uma oportunidade para desarmar o humano. A tentativa de desarme falhou e Kane foi obrigado a matar o policial com dois tiros de rifle, sendo o último na cabeça. O ato de executar o policial ali, deixou as atenções de sua parceira totalmente voltadas para o confronto, momento em que Rosalie se aproveitou da situação para dominá-la, deixando-a desacordada em tempo dos personagens fugirem, mas não antes de entregar a mercadoria e receber seu pagamento. O pagamento foi inferior ao combinado, contudo, Rosalie não tinha tempo para resolver isso agora e saiu com o prejuízo, esperando cobrá-lo na próxima oportunidade.

Ainda sentados em um banco, próximo ao bar, David e Lily escutaram o barulho do tiro. Movido pela enorme curiosidade, o cientista resolveu ir lá ver o que aconteceu. Próximo à porta de entrada, Kane e Rosalie saíram às pressas trombando com David e Lily. Eles foram diretamente para a nave na tentativa de embarcar.

Chegando à espaçonave, kirk aborda os personagens e questiona o porquê da pressa em sair dali. David e Lily se aproxima mais uma vez, ainda tentando entender o ocorrido ali. Kirk causa um pouco de tumulto, principalmente com as pessoas, tentando persuadi-las a embarcar em seu cruzador, que tendo uma passagem 25% mais cara, traria uma segurança que a espaçonave de Kane não garantiria. David e Lily estavam sem dinheiro. Além disso, David acabou ficando interessado naquela dupla estranha e resolveu embarcar com ambos, juntamente com mais uma casal humano. Então as pressas, todos embarcaram rumo a Simizor.

Durante a decolagem, David acionou as telas da espaçonave e todos assistiram um pronunciamento oficial do Imperador da Unicracia Terrestre, Jame Nolan, informando que neste momento estaria saindo do Planeta Terra com destino a Simizor, uma pequena comitiva e que nesta comitiva, estava sua filha Anne Nolan, embaixatriz e responsável por relações externas da Unicracia Terrestre. A missão da garota popularmente conhecida como Princesa no planeta Terra, é desmentir o grande boato da invasão, que assola os planetas, reforçando os acordos de paz entre ambos. A outra missão da embaixatriz é tentar solucionar os impasses comerciais criados a partir dos mesmos boatos.

CENA 02 - A CAMINHO DE SIMIZOR

  • 16 de novembro de 2613 - Algum lugar do espaço - Rumo a Simizor

Em determinado momento da viagem, a nave Delta Sid, pilotada pelo capitão Kirk se aproximou da Old Sword além da distância mínima de segurança. Kane o alertou e Kirk abalroou seu enorme cruzador contra a espaçonaves dos personagens e então partiu em direção ao seu destino. A nave da embaixatriz era mais rápida e foi a frente das outras, não presenciando o ocorrido. Pietrus precisou usar suas grandes habilidades como piloto para não perder o controle da espaçonave.

Kane tentou estabelecer contato com a nave de Anne, porém, estavam em uma frequencia protegida. Rosalie então sabotou o sistema de comunicação da Old Sword para entrar em contato com a embaixatriz. O contato foi estabelecido e Pietrus passou a situação para Anne, advertindo-a e pedindo que a mesma tomasse cuidado.

  • 17 de novembro de 2613 - Estação de abastecimento

Anne Nolan, a embaixatriz!
A caravana parou para abastecer as espaçonaves com combustível e suprimentos. Os personagens foram os últimos a chegar à estação e presenciaram Anne conversando com Kirk, com tom de briga. Com a aproximação dos personagens ambos saíram de perto. A partir deste momento, David começou a exigir respostas de Kane sobre o que estava ocorrendo ali. Parando para beber um pouco, os personagens conversaram um pouco e Kane descobriu que Lily era uma andróide, apelidando-a de torradeira, de maneira pejorativa. Neste momento também, ficou claro que o personagem tem lá seus preconceitos com os andróides.

Pietrus teve agora uma forte sensação de já conhecer Lily, contudo, não conseguiu se lembrar de onde.

Os personagens foram interrompidos no meio da conversa por um dos zorks que acompanhavam Kirk. O soldado dizia que por ordem da embaixatriz, eles deveriam decolar imediatamente, pois não poderiam perder tempo.

Antes de decolar, Rosalie fez contato com Claire, um de seus contatos em Simizor, informando o ocorrido e pedindo que a situação fosse levada ao conhecimento de Penélope. Antes de levar, ela também solicitou segurança para ela e os demais ao chegar.

CENA 03 - CHEGADA A SIMIZOR

  • 23 novembro de 2613 - Plataforma de pouso interplanetária de Simizor

Finalmente em Simizor, os personagens começam a perceber que algo realmente mudou no planeta. David chega e pega um papel no chão que o chamou a atenção. O papel é um panfleto convocando todos os símios e zorks para uma reunião no país imperial, que é um país envolto por uma muralha imensa da qual somente símios e zorks têm permissão para acessar. No folheto, já havia se passado uma semana da referida reunião. Todos ficaram intrigados, pois o qual assunto as raças teriam em comum? Os pensamentos conspiratórios de David o faziam pensar em vários planos que podem ter sido arquitetados durante tal reunião. David acredita que além de dominar o planeta Terra, os símios e os zorks planejavam eliminar a raça humana.

Kane foi interceptado por alguns zorks da polícia local. Kirk distorceu a história dizendo que Kane tentou atacá-lo jogando sua nave contra a dele. Os policiais então apreenderam a Old Sword até a segunda ordem e ainda disseram para Kane e seu grupo se comportarem bem, pois ficariam de olhos em todos. Pietrus nunca havia sido tratado dessa forma em Simizor.

Rosalie olhou ao redor e reconheceu vários sujeitos conhecidos. Eram os seguranças solicitados a Claire. Todos velados, ocultos em meio à multidão.

David então se despediu, dizendo que seguiria seu rumo. Rosalie e Pietrus partiriam em direção à Penélope, pois Rosalie pretendia relatar o ocorrido durante a viagem enquanto Kane queria receber seu pagamento. Ao se despedir, Rosalie olhou para traz e viu David e Lily mostrando um envelope para o velho zork dono da loja de lembranças de nome Macaco Furtivo. O zork não entendeu e David que não conhecia seu idioma tentava explicar o motivo de entregar o referido envelope. Rosalie então, se lembrou de sua missão primária e retornou, vendo que as pessoas a quem ela deveria levar ao encontro com Penélope eram David e Lily. David a princípio duvidou de Rosalie, achando  que ela pretendia traí-lo, contudo, após muita explicação ele resolveu acompanhá-la, mesmo que a contra gosto.

Os personagens então seguiram até o ponto de encontro com Penélope, que tratava-se de um de seus esconderijos, porém, lá foram informados por Claire que Penélope saiu para ver a recepção da embaixatriz da Unicracia Terrestre, que ocorreria dentro de uma hora. Antes de sair, Penélope deixou instruções para os personagens irem até o local do evento, pois seriam encontrados por ela lá. O palco onde será sediado o evento é a Praça Imperial de Simizor.

CENA 04 - A COMITIVA DE RECEPÇÃO PARA A EMBAIXATRIZ

A praça imperial é conhecida como um dos maiores símbolos da desunião entre as duas raças governantes de Simizor. Localizada em frente à entrada principal para o país imperial, a gigantesca praça imperial foi um dos mais sangrentos palcos de disputas antigas entre as raças. Como símbolo destas disputas e desunião, no local foi erguida a praça , com um enorme paredão dividindo a praça em duas, cada lado para uma raça. Dois tronos divididos entre a enorme parede separam o lugar do imperador de cada raça. O espaço destinado a cada raça está repleto de estátuas de seres tidos como heróis na cultura de cada raça. Devido ao local ser aberto ao público e não possuir seguranças, é comum que uma raça deprede ou piche o matrimônio da outra, deixando as praças com um grande aspecto sombrio, sujo e escuro.

  • 23 novembro de 2613 - Início da noite - Praça Imperial de Simizor - Comitiva de recepção da Embaixatriz da Unicracia Terrestre

Chegando ao local, o evento ainda não havia iniciado. Os personagens ficaram espantados ao olhar a praça e ver como o local havia mudado dentro apenas um mês. O grande muro que outrora dividira a praça em duas, já não mais existe. As pichações e depredações deram lugar a uma praça agora limpa, com todas as estátuas restauradas e um ambiente muito harmonioso e bem iluminado. Era demais para os personagens absorverem aqui tudo. Os tronos ainda estavam lá, contudo, agora lado a lado o imperador símio Zion e o imperador zork Barroock aguardavam a chegada da ilustre convidada, ambos sob um grande estandarte vermelho e azul, com as letras ICS gravadas. Olhando ao redor, os personagens conseguiram descobrir que as siglas diziam "Império Compartilhado de Simizor", confundindo ainda mais a cabeça de todos ali.

Os habitantes de Simizor estavam todos em clima de festa aguardando a chegada da embaixatriz. Era possível ver as raças interagindo como uma só.

Em meio a toda esta organização que atraia centenas de milhares de pessoas dentre várias raças para a praça, os personagens tentavam encontrar Penélope, contudo, sem êxito.

Então soaram as cornetas e rufaram os tambores. O imperadores se ergueram de seus tronos e iniciaram a cerimônia para receber a ilustre Embaixatriz Anne Nolan, acompanhada por sua guarda de honra. Neste momento todos, incluindo os personagens, voltaram suas atenções para o acontecimento. Os imperadores então se apresentavam para a embaixatriz humana. Zion se apresentou como representando da raça símia e imperador tecnológico de Simizor, enquanto Barroock se apresentou como o representante zork e imperador militar do planeta.

Os telões transmitiam toda a cerimônia em tempo real para as pessoas que ali estavam, bem como para todos os cantos de Simizor e do planeta Terra. Foi uma bela cerimônia a princípio. Os imperadores de Simizor se mostraram bastante solícitos e dispostos a negociar seus preços e a reforçar os tratados de paz entre os planetas. A cerimônia desmentiu aos terráqueos todos os boatos acerca de uma possível invasão.

Após aproximadamente duas horas de cerimônia, esta chegou ao seu fim com um lindo ato de encerramento, porém, quanto as transmissões com o planeta Terra se encerraram, aconteceu algo que mudará sem dúvida a história de ambos os planetas. Os guardas de Simizor assassinaram a sangue frio toda a guarda de honra da embaixatriz e a prenderam, levando-a para dentro do país imperial. A população da cidade ficou em polvorosa, comemorando o acontecido, como se já estivessem esperando ansiosos por isto.

Neste exato momento, Penélope surgiu em meio a multidão e guiou os personagens rapidamente por um beco, dizendo não haver tempo para explicações ali. Enquanto deixavam a praça, os personagens ouviam os auto-falantes anunciarem que era chegada a hora de dar o troco naqueles que os escravizavam. Ouviam também os auto-falantes informando que nenhum ser poderia deixar o planeta nos próximos dias e que os humanos que ali estavam não seriam bem vindos, contudo seriam tolerados no planeta desde que se sujeitassem às suas ordens, dando a entender também que uma recusa resultaria em morte.

Os personagens continuaram seguindo até entrarem em uma casa pequena, velha e escura.

CENA 05 - INVADINDO O PAÍS IMPERIAL

Finalmente livres do tumulto, os personagens começaram a elaborar perguntas e mais perguntas à Penélope. Sentados em volta de uma mesa, em um cômodo pequeno e úmido, Lily, David e Rosalie perceberam que não estavam sozinhos, sentindo movimentações vindas do teto, contudo, não tomaram nenhuma ação. David imediatamente questionou Penélope sobre a localização de seu amigo Kong.

Penélope os interrompeu dizendo saber que todos tinham muitas perguntas e que ficaria em responder, contudo ainda não era hora para isso. Ela disse a David que seus contatos viram David entrar no país imperial cerca de dois meses atrás e que desde então não conseguiram mais monitorar o símio. Sempre desconfiado, David pediu que Lily usasse seus poderes na tentativa de captar ondas de rádio próximas e a andróide começou a se concentrar.

Penélope disse que neste último mês as coisas mudaram de forma espantosa em Simizor e que nem seus contatos da raça símia e zork traziam informações sobre as mudanças implantadas. Ela sabe contudo que a invasão é uma realidade e que ela está próxima. Aliado a isso, ela também ouviu boatos sobre alguma divindade que se levantou pelas raças, contudo, esta é uma informação sem muita credibilidade. Com base nas poucas informações coletadas, ela sugeriu que os personagens entrassem no país imperial para conseguir provas da invasão, bem como conhecer os planos para a mesma e então retornarem à Terra para apresentar as provas e organizar uma defesa. Ela sabia que era demais colocar o destino do planeta Terra nas mãos de tão jovens aventureiros, contudo, era o máximo que tinham naquele momento.

David aceitou a missão de imediato, visando encontrar seu amigo e agora impulsionado pela curiosidade. Lily como sempre o seguiu. Kane viu nesta missão uma possibilidade de se redimir com a Unicracia Terrestre e aceitou de pronto a missão e Rosalie por si só já aceitaria qualquer missão que sua mentora a designasse.

Ela então apresentou seu plano. Era ousado, muito arriscado, contudo, a melhor chance para o planeta Terra. O plano era invadir o país imperial, recolher provas e retornar à Terra para apresentá-las à UT e então organizar uma defesa. Ela retirou de um saco, seis equipamentos tecnológicos que seriam essenciais para o sucesso da missão. Não estavam em perfeitas condições mas ainda assim seriam muito úteis. Eram quatro cintos de realidade virtual que os transformariam em símios ou zorks e dois anéis que permitiriam aos personagens se comunicarem nos idiomas de ambas as raças. Ela disse que a energia dos cintos duraria por apenas alguns dias e que cada anel estava programado para uma das raças, portanto, era essencial que usassem estes equipamentos com sabedoria. Por fim, Penélope apresentou aos personagens o aliado que os colocaria dentro do país imperial. O mesmo desceu do teto andando pelas paredes. Ela o apresentou como Flich, um Ettercap e disse que sua única missão era colocar os personagens para dentro e que depois seria por conta deles.

David imediatamente se lembrou de seus estudos acerca de espécies alienígenas, cientificando a todos que ettercaps são uma raça aracnídea que vive em colônias e podem ser encontradas em vários planetas. Ele disse também esta raça não é lá muito confiável. Lily repetiu em símio as mensagens que conseguiu captar dos rádios comunicadores e David as traduziu, dizendo que os integrantes da patrulha informavam alguns humanos que conseguiram capturar, outros que resistiram e acabaram mortos e que os capturados ou os que se entregaram de livre e espontânea vontade seriam submetidos a uma espécie de cadastro, que também rastrearia a localização dos mesmos em qualquer lugar. Kane agradeceu a Lily, chamando-a de torradeira e dizendo que ela pode vir a ser útil. Os dois trocaram mais algumas farpas e então ficou acertado que os personagens partiriam para a missão na noite seguinte.

  • 24 novembro de 2613 - 22:00h - Início da missão de infiltração

Antes de saírem, Lily usou seu poder de compreender idiomas para entender o que Flich falava. Penélope informou que não poderia ir com os personagens, pois precisaria movimentar seus contatos para liberar a Old Sword para os personagens conseguirem retornar à Terra. Desejou-se sorte e pediu que eles tomassem cuidado.

Os personagens preferiram ainda não ativar os cintos de transformação para economizar a energia dos mesmos e resolveram se esgueiras por entre os becos até chegarem na passagem. Em dado momento, Flich parou e indicou a estrada para o local. Era uma pequena passagem aos pés do imenso paredão de metal que circundava o país imperial. Uma patrulha zork estava conversando nas proximidades. Os personagens pensaram em tentar passar de forma furtiva, contudo acharam muito perigosos e decidiram então criar uma distração para os personagens. David retornou um pouco no caminho e usando suas ferramentas e seu conhecimento, criou um curto-circuito em uma casa, causando uma grande explosão e atraindo a atenção da patrulha. Ele então voltou rapidamente para o local encontrando com os demais personagens.

Foi difícil, mas Rosalie conseguiu sabotar o mecanismo liberando a passagem. Enquanto os personagens entravam no local, Flich pegou uma barra de ferro, olhou para todos e falou olhando para que Lily traduzisse que a partir dali era com eles. Ele então bateu forte com a barra de ferro nas paredes metálicas do local, causando um barulho alto e saiu. Os personagens então fecharam novamente a passagem e seguiram em frente.

O local era um beco escuro com estrutura metálica, onde a única iluminação presente era a lanterna no rifle de Pietrus. Rosalie foi andando silenciosamente na frente, mesmo sem enxergar direito. Ela caminhou furtivamente até que percebeu ter prendido os pés no chão. Ela então alertou aos companheiros. Kane iluminou o local e os personagens detectaram várias teias de aranha bastante grossas no local. Rosalie precisou fazer muita força para se desvencilhar e continuar em frente.

O combate contra a aranha gigante!
Mais alguns metros e Rosalie percebeu um vulto passando sobre sua cabeça, andando no teto. Ela não teve tempo de avisar antes que aquela aranha monstruosa descesse em direção à Lily, abocanhando-a sem dar a mesma uma chance de se desviar. O ataque causou grandes avarias no corpo cibernético da andróide, que quase foi desativada devido ao dano. Rosalie atirou pelas costas do animal, deixando-a lenta para que Kane e David a atacassem com suas armas. Por fim, Lily com muita dificuldade acertou um tiro de misericórdia acabando com a vida daquele animal. Antes de morrem a aranha gigante xingou flich por ter enviado pessoas fortes para o jantar. David fez alguns pequenos reparos em Lily, possibilitando-a de caminhar novamente e os personagens seguiram em frente, agora com as atenções redobradas.

Continuando em frente, os personagens escutaram barulhos de luta. Se aproximando, viram vários zorks caídos mortos, todos com marca de mutilação. Andando de maneira ainda mais cautelosa, eles presenciaram dois seres híbridos humanóides com patas de aranhas no lugar das pernas e corpo todo de cor roxa, com alguns detalhes em vermelho. Estes seres estraçalharam um zork na presença dos personagens e caminhavam lentamente em direção ao último deles ainda vivo. O zork estava bastante ferido e suplicava por socorro.

Os personagens pensaram por um momento em auxiliar o zork, contudo não conheciam as capacidades daquele ser e preferiram usá-lo como distração para saírem dali sem iniciar outro combate, pois conheciam a real importância de sua missão.


Os personagens então avistaram um fim daquela passagem e ao lado de fora finalmente presenciaram o ar livre. Estavam dentro. Finalmente estavam no país imperial.

+++ FIM DA PRIMEIRA SESSÃO +++

Bem galera, é isso! Como vocês podem ver, a aventura foi bem basicona mesmo, para introduzir os jogadores e os personagens ao cenário que ainda está em construção, porém, ainda assim foi bem divertido e serviu para encher minha cabeça de possibilidades.

Espero que os jogadores participantes tenham gostado desta primeira sessão e que ela resulte em mais sessões, transformando-as em uma campanha maior.

Espero também que tenham gostado deste relato! 
Grande abraço a todos e até a próxima!

Links relacionados: